Quantidade de Páginas visitadas

PALAVRAS QUE NINGUÉM DIZ
PALAVRAS QUE NINGUÉM DIZ

Reproduzimos abaixo algumas crônicas produzidas pelos alunos do 9º. Ano A, matutino, do Colégio Estadual Padre Anchieta, de Salgado Filho – Paraná, utilizando algumas palavras “que ninguém diz”, mas que fazem parte da língua portuguesa. Tiveram como apoio textos de Carlos Drumond de Andrade e a orientação da Professora Ângela Maria Mázzaro.


PALAVRAS ESTRANHAS

Laura, minha vizinha, gosta muito de animais. Semana passada ela ganhou um caçapo de presente de sua mãe. Ela passa o dia todo dando atenção a ele e esquece de seus outros bichinhos, como se eles fossem frívolos. Com os animais Laura é muito carinhosa, mas com algumas pessoas ele é um pouco apócrifa. Mas quando está disposta a conquistar algo ele é indefectível.
Bem! Ontem eu estava passando na praça da igreja e encontrei um tresloucado pescando no chafariz. Ao seu lado estava um ramicultor, que provavelmente pelo que percebi seria parente do tresloucado. Ele estava ligando para o manicômio. Depois que os enfermeiros levaram o tresloucado ao manicômio, perguntei ao ramicultor se ele teria algumas mudas de quixabo para vender. Logo após ter comprado as mudas de quixabo fui até uma lojinha ali perto comprar algumas quinquilharias para dar de presente a um sobrinho.
Hoje a manhã começou chuvosa. Olhando uma velha fotografia de minha tia comecei a lembrar-me do dia em que ela faleceu. Lembro como se tivesse sido ontem, ela deitada em uma cama de hospital, já começando a tiritar, seus lindos olhos cerúleos já se obstruindo... Ah! Quer saber? Em vez de ficar lembrando, irei fazer um réquiem para ela e depois irei dormir, pois em um dia chuvoso como esse não há nada melhor a fazer.

GLOSSÁRIO

Apócrifo: Que não é verdadeiro, falso.
Caçapo: Coelho novo.
Frívolo: Sem importância.
Indefectível: Que não falha, infalível.
Tresloucado: Louco, doido.
Ramicultor: Agricultor que se dedica a plantação de rami (planta têxtil).
Quixabo: Fruta comestível.
Tiritar: Tremer.
Cerúleos: Da cor do céu.
Obstruir: Embaçar.
Réquiem: Prece pelos mortos.

Autores: Joziane, Nathan e Cleisson


PALAVRAS DIFÍCEIS

Um dia eu e minha mãe resolvemos ir a uma abadia falar com o abade. Saindo de lá eu lembrei do natal, no qual precisamos montar a lampinha. De repente veio um éolo. Aí minha mãe falou do conhecido trabuco.
Muitas vezes, alguns metediços aparecem para incomodar. Inopinadamente, o sangue sobe à cabeça e ambos provocamos uma grande abaloada de xingamentos. Isso faz com que você comece a opar de raiva.
Um certo homem era iconoclasta, passava o dia praticando atos iconoclastas.
Lá em uma vizinha tinha uma criança que catava pedrinhas brilhantes e colocava em uma campânula.
Muitos países são lusófonos.
Antigamente os pais fustigavam os filhos.

GLOSSÁRIO:
Abadia: Igreja ou paróquia.
Abade: Sacerdote.
Lampinha: Presépio.
Trabuco: Maquina de guerra empregada para arremessar pedras.
Éolo: Vento forte.
Abaloada: Choque violento de uma coisa com outra.
Inopinadamente: Imprevisto, inesperadamente.
Metediço: Intrometido.
Opar: Inchar.
Iconoclasta: Aquele que destrói símbolos, imagens religiosas.
Campânula: Vaso em forma de sino.
Lusófono: País ou individuo que fala português.
Fustigar: Bater com vara.

Autores: Jaqueline, Bruno e Adelar – 9º. A



VIAGEM AO EMPÓRIO


Num domingo perene eu saí ruar, então eu vi um empório. Entrei no mesmo e comecei a prescrutar as prateleiras. Vi um vendedor e ao lado uma mulher janota, que mostrava-se pedante. Continuei a vasculhar as prateleiras.
Após o fenecimento de eu prescrutar tudo, veio o vendedor que mostrava-se pachorrento e me ofereceu algo tênue. Eu, percebendo isso concluí que ele estava tentando engodar-me. Após as compras, senti arroubo e pândega, como um petiz.

GLOSSÁRIO:

Perene: Que dura muito, imortal.
Ruar: Sair sem destino, andar à toa.
Prescrutar: Vasculhar, procurar, revirar.
Janota: Bem vestido.
Pedante: Nojento, exibido, audacioso.
Fenecimento: Fim, término.
Pachorrento: Calmo, sereno, acomodado.
Tênue: Fraco, frágil.
Engodar: Mentir, enganar.
Arroubo: Entusiasmo, fervor, encanto.
Pândego: Feliz, alegre.
Petiz: Criança, adolescente.
Empório: Centro de comércio, mercado.

Autores: Guilherme e Adriano – 9º. A

MINHA PAIXÃO POR UM SAFARDONA

Um ciclista descendo um arrampado piscou para mim. Era Gregório, um safardona do bairro, disceminador de ósculos.
Daquele dia em diante passei a cecar ele, porque me apaixonei. Como sou uma pessoa imaginosa, fiz um plano para conquista-lo, passei a me comportar como patrona, sabia que ele ia gostar.
Depois de alguns dias ele me deu um cochinado de um presente, mas o que vale é a intenção. O mais legal foi a lisonja que ele me ofereceu.
Luci, uma amiga, começou a me tratar com ojeriza, porque ela também gostava de Gregório. Fiquei chateada, pois Luci era um unhaço para mim. Nossa amizade foi embora como um aerosato que vai em direção aos céus, sem esperança de um dia voltar.

GLOSSÁRIO

Arrampado: Rampa, ladeira.
Safardona: Safado, sem vergonha.
Disceminador: Que espalha algo.
Ósculos: Beijos.
Cocar: vigiar
Imaginosa: Imaginação fértil, pensadora.
Patrona: Advogada.
Cochinado: Porcaria
Lisonja: Elogio, louvor exagerado.
Ojeriza: Antipatia, ódio.
Unhaco: Pessoa íntima.
Aeróstato: Balão de gás.

Autores: Edineia, Camila e Joice – 9º. B




Jogos Escolares 2011

     O CEPA realizou em novembro, a edição dos Jogos Escolare 2011 com muitas modalidades esportivas. Foram dias de intenso trabalho e participação dos alunos nas atividades. Acompanhe abaixo as classificações finais desta edição:







     Para acessar as fotos do evento, clique no título acima.




ADOLESCENTES CRIAM BANDA E FAZEM SUCESSO
Com a realização do 13o Festival de Música do Colégio Estadual Padre Anchieta – CEPA, de Salgado Filho, em agosto deste ano, consolidou-se a criação da Banda CEPA. Trata-se de uma banda de música formada por adolescentes na faixa de 15 anos de idade, todos alunos do CEPA. A composição atual da Banda CEPA é a seguinte:



Claudinei de Lima Claro: Contra Baixo e Vocal


Eduardo Saggiorato: Bateria e Vocal


Fábio Cappelin: Violão


Kauê Natan Tafarel: Violão e Vocal


Vagner Chorna: Teclado e Vocal


Na realização do Festival de Música do CEPA esta banda realizou todos os ensaios com os calouros, fazendo a marcação das notas e no dia do festival fez o acompanhamento de todas as músicas. Em seguida a banda foi convidada para fazer apresentações no CTG Recanto dos Tropeiros, em Salgado Filho e na Escola Estadual de Linha Tatetos, em Flor da Serra do Sul.


A Banda CEPA toca vários estilos de música, com preferência para o sertanejo universitário e tem feito grande sucesso entre adolescentes e jovens. A Direção e professores do Colégio Padre Anchieta celebra o surgimento desta banda como o coroamento de um longo trabalho realizado com os festivais de música da escola, além do talento músical próprio de cada integrante. Os integrantes da Banda CEPA responderam a algumas perguntas para a nossa reportagem do site CEPA.


Antonio: Afinal, qual o nome da banda?


A princípio está como Banda do CEPA, porque ainda estamos discutindo um bom nome para nossa banda.


Antonio: Como começou a banda?


Começou quando os professores de língua portuguesa do CEPA (Colégio Estadual Padre Anchieta) vieram pedir para tocarmos o festival estudantil.


Antonio: Qual a influência dos festivais estudantis no surgimento da banda? Contribui ou não?


A influência dos festivais estudantis contribuiu muito com o surgimento da banda, afinal, foi por isso que começamos.


Antonio: Algum integrante da banda já participou alguma vez como calouro do festival estudantil?


Sim, dois integrantes já participaram. O Vagner Chorna já participou 4 vezes, ficando 2 vezes em 1º lugar e 2 em 2º. O Eduardo Saggiorato participou 3 vezes, ficando 2 vezes em 1º lugar e 1 em 2º.


Antonio: Vocês aceitariam fazer algumas apresentações em outras escolas, sem cobrar cachê?


Sim, porque na verdade isso é uma grande experiência para todos nós.


Antonio: As atividades da banda interferem nas atividades escolares?


Não. A gente procura fazer os ensaios e apresentações de modo que não atrapalhe os nossos estudos.

Diretora Judite: Aposentadoria Merecida
No dia 21 de agosto, quarta feira, em Assembléia de Pais, Professores, Funcionários e alunos do Colégio Estadual Padre Anchieta, a professora e Diretora Judite Pilger Gonçalves se despediu da escola. Após 32 anos de serviços prestados à educação, ela conquistou sua merecida aposentadoria. Judite foi homenageada por colegas, alunos e pelo Prefeito Beto Arisi, que foi seu aluno. Até o final deste ano a Professora Neusa Arisi responderá pela direção do Colégio Estadual Padre Anchieta – Ensino Fundamental e Médio, tendo como Diretor Auxiliar o Professor Antonio Batista. Em novembro haverá eleição para o cargo de Diretor e Diretor Auxiliar para os próximos 3 anos. Veja abaixo a entrevista concedida pela Professora Judite para o site do Colégio Estadual Padre Anchieta – Ensino Fundamental e Médio.

Há quantos anos trabalha na educação?

Há 32 anos, na educação.



Faça um resumo de sua carreira na educação. Onde e quando começou? Que funções ocupou? Que desafios enfrentou?

Tudo começou em 1978, quando certo dia meu pai chegou em casa no final da tarde e disse:

- Filha você sempre quis ser professora, tem uma vaga na linha Guabiju, Escola Duque de Caxias. Seu Luíz Arisi prefeito na época, quer que você pegue essas aulas multiseriadas.

Logo depois fui até a casa onde eu trabalhava de empregada doméstica, na dona Helga Reisdoerfer e informei que não trabalharia mais para ela, por que ia dar aula. No dia seguinte fui até a prefeitura falar com o prefeito e assinei o meu contrato. Trabalharia no período da manhã e tarde. Na época havia poucos professores.

Lá fui eu, descia cedo de ônibus, terceira e quarta série no período da manhã e primeira e segunda série no período da tarde. No Início almoçava na escola e mais tarde na casa de Lúcia Salvador, que hoje é minha colega de trabalho no Padre Anchieta. Voltava a tardinha e a noite fazia ensino médio no colégio onde hoje encerrei minha carreira. Passei por muitas dificuldades porque tudo era novo para mim, tinha inspetor de ensino que exigia bastante, mas agradeço porque aprendi muito, o diário tinha quer ser perfeito e muito caprichado. Preparava minhas aulas para o dia seguinte, a noite quando voltava do colégio.

Foi realmente um grande desafio. Ao longo dos anos fui professora, tutora, coordenadora de primeira a quarta série, vice-diretora e diretora em duas gestões.

Em 1980, comecei a minha faculdade de Língua Portuguesa em Palmas, as dificuldades aumentaram ainda mais, tudo era difícil, gastava muito, ganhava pouco, e ainda tinha que arranjar tempo para preparar aulas e corrigir provas. Muitas vezes minha mãe emprestava dinheiro de vizinhos para que eu pudesse ir para Palmas na faculdade. Em 1981 fui convidada para dar aula para o ginásio na Comunidade de Barra Grande, na época pertencente a Salgado Filho e lá fui eu.

Deixei minha família e fui morar lá. No período diurno trabalhava com o primário e a noite ginásio, e continuava minha faculdade, era difícil sair de lá para pegar ônibus, geralmente caminhava até os Freire.

Conheci meu esposo Agustinho Gonçalves que sempre me incentivou muito. Casamos em 1984 no mesmo ano nasceu meu primeiro filho Carlos, que ia comigo para Palmas, era muito sofrido.

Em 1985 fomos morar em Nova Aurora, também para dar aula, ficamos um ano lá e voltamos para Salgado Filho, onde estamos até hoje e aqui pretendo ficar.



Ao encerrar sua vida profissional, como se sente? Realizada? Por quê?

Encerrando minha vida profissional estou muito feliz, uma sensação de dever cumprido, na verdade uma mistura de sentimentos. Me sinto realizada porque sempre levei muito a sério minha profissão, realizada porque fiz o que eu queria desde criança (Ser professora).

Qual a sensação de, de repente, não mais sair de casa para ir ao trabalho, deixar de lado todas as preocupações do cotidiano do trabalho?

Sensação boa, esqueci o relógio, sinto falta sim a cada momento da impressão de que preciso ir até o colégio. Me vem em mente coisas do trabalho, do dia-dia, decisões, documentos, reuniões, compromissos e outras coisas importantes, mas estou procurando esquecer, tenho certeza que alguém vai me substituir muito bem.

E agora, quais são seus planos?

Ainda não pensei em outros planos. Mas quero estar mais do lado dos meus três filhos, Carlos, Mônica e Cézar e esposo Agustinho, enfim da minha família. Ter mais tempo para eles, estar mais presente. Quero viajar também, aproveitar a vida.

Como gostaria de ser lembrada pelos colegas e pela Comunidade Escolar?

Quero ser lembrada como a professora Judite, uma pessoa exigente, preocupada, comprometida com o trabalho, mas muito amiga e humana.

Quais foram sua maiores frustrações (se houve) ao longo da carreira?

Posso dizer que não tive frustrações ao longo de minha carreira, as pequenas que existiram, não vale a pena serem lembradas.

O que gostaria de dizer aos colegas que aqui continuam na luta?

Aos colegas do Padre Anchieta, posso dizer muito obrigada, por vocês terem existido na minha vida. E continuem firmes na luta que sejam mestres verdadeiros nesta árdua tarefa de ensinar. Desejo sucesso para todos.

E aos alunos do CEPA, o que gostaria de dizer?

Aos alunos do CEPA um grande beijo, vocês marcaram minha vida. Tenham certeza, que as vezes que chamei atenção, foi somente porque amo todos vocês. E faço um pedido, estudem muito, sejam verdadeiros e respeitem a todas as pessoas.

Diga algo para os pais, mães, comunidade, apmf.

Aos pais, mães, apmf, conselho escolar e comunidade, meu muito obrigado pela participação na escola e que continuem presentes cada vez mais, auxiliando e colaborando com a escola. Uma escola só é boa quando há participação e comprometimento de todos.

Encerrando...

Deixo um grande abraço para os alunos, alunas, professores, professoras, funcionários, funcionárias, apmf, conselho escolar, equipe pedagógica, pais e mães, enfim comunidade, que Deus abençoe a todos. Foi maravilhoso trabalhar com vocês.

JUDITE PILGER GONÇALVES

CEPA MOVIMENTA O DESFILE DA PÁTRIA
No domingo, 11 de setembro, a comunidade de Salgado Filho participou e assitiu a um grande desfile cívico-cultural, em comemoração ao Dia da Pátria. A organização ficou a cargo da Secretaria Municipal de Educação e Cultura, com a participação de escolas, instituições, entidades diversas. Uma atração à parte foi a Banda Municipal, que com seus tambores marcou o ritmo da marcha dos estudantes e até do Exército de francisco Beltrão. A Banda Municipal é composta por alunos e professores do Colégio Estadual Padre Anchieta, que ensaiaram muito durante dois meses para fazer bonito no desfile.



Os alunos do Padre Anchieta participaram da marcha e do desfile, com um pelotão de uniformes laranjas, outro de branco, e representações dos diversos projetos da escola, como Festival Estudantil, Garoto e Garota Estudantil, Olimpíada de Matemática, jogos escolares, dentre outros. Desfilaram também os alunos da Escola estadual de Linha Guabiju, das Escolas Municipais Jaci Lopes e Rosa Mística, da APAE, alé de idosos, motociclistas, ciclistas, escoprtistas, Clubes de Mães, APMI, Creche, dentre outros. Foi um desfile bem organizado, rápido e muito interessante, em uma bela manhã ensolada de domingo.
FESTIVAL ESTUDANTIL CEPA 2011 FOI SUCESSO!


Larissa Bortoletti e Bianca Pansera, vencedoras do Festival


Estudantil CEPA 2011




A 13a edição do Festival Estudantil de Música do Colégio Estadual Padre Anchieta, realizado na quinta feira, dia 08 de setembro, no Ginásio de esportes do Colegio, mais uma vez foi um grande sucesso. Apesar de chover torrencialmente durante toda a manhã, o Ginásio de Esportes do Colégio esteve sempre lotado, com centenas de crianças e adolescentes assistindo e torcendo por seus candidatos prediletos.


O Evento iniciou com a fala da Diretora Judite Pilger, a qual deu as boas vindas a todos e destacou a importância deste festival, como projeto dos professores de Língua Portuguesa da escola. Em seguida a Professora Angela Maria Mázzaro comandou o desfile dos concorrentes ao título de Garoto e de Garota CEPA 2011, momento em que os concorrentes desfilaram pela passarela, com muita elegância e desenvoltura. Ao final os jurados escolheram Ivan Henke Martins como Garoto Estudantil e Vanessa Doré Gonçalves como Garota Estudantil.







Ivan Henke Martins, Garoto Estudantil CEPA 2011



Vanessa Doré Gonçalves, Garota Estudantil CEPA 2011






Na sequência o Professor Eloir Wronski comandou o Festival Estudantil, onde os concorrentes cantaram músicas de sua escolha, divididos em duas categorias, infantil e infanto-juvenil, com dez concorrentes em cada categoria, sempre acompanhados pela Banda do CEPA. As apresentações foram de um nível bastante elevado, demonstrando um ótimo preparo por parte dos concorrentes e ótimo entrosamento com a Banda, fruto dos exaustivos ensaios. Ao final os jurados deram as notas a cada concorrente, chegando-se ao seguinte resultado do Festival de Música:



Infantil

1º Larissa Bortoletti

2º Letícia Arisi

3º Paola Pegoraro e Luana Frizzo



Infanto-juvenil

1º Bianca Pansera

2º Letícia Favaretto e Juliana dos Santos

3º Elaine Paduan e Patrícia Duarte
COLÉGIO ESTADUAL PADRE ANCHIETA REALIZA FESTIVAL DE MÚSICA EM SALGADO FILHO




Há 13 anos o Colégio Estadual Padre Anchieta, da Cidade de Salgado Filho, realiza o seu festival de música, mobilizando toda a Comunidade Escolar



A música é, foi e continua contribuindo como uma mola propulsora e motivadora para o desenvolvimento cultural através dos tempos e gerações, além de um instrumento de análise, denúncia e crítica social. Através da música podemos viajar no tempo e na história. Ela une gerações e marca épocas. Algumas personalidades, bem como estilos influenciam muita gente seja pelo ritmo ou pelas letras/mensagens que caem no gosto e no coração do público. A música está presente nos lares e porque não dizer em praticamente todos os momentos marcantes da nossa vida. Partindo da ideia de que é algo atraente, emocionante e que cativa/motiva as pessoas, pensamos em um projeto em que pudéssemos partir dela para aprimorar e desenvolver a linguagem, bem como a expressão oral e corporal dos nossos alunos.

Há 13 anos nasceu o Projeto Festival Estudantil no coração de alguns professores que idealizaram e desenvolveram no Colégio Estadual Pe. Anchieta este projeto que já está no seu 13º ano. O projeto tem como principais objetivos: descobrir e divulgar talentos musicais; desenvolver habilidades que envolvem a linguagem (culta/formal, popular/informal, figuras de linguagem, entonação, ritmo, poesia...); trabalhar a expressão oral e corporal dos alunos; melhorar e capacitar a apresentação em público; ampliar a autoestima; bem como provocar reflexões acerca das mensagens e estilos musicais.




Este projeto em sua amplitude abrange toda a comunidade escolar. Se desenvolve em duas modalidades: infantil (alunos de 5ª a 7ª séries) e infanto-juvenil (alunos de 8ª a 3ª série do Ensino Médio). Acontece em três momentos, sendo o primeiro momento a eliminatória que se realiza na sala de aula onde cada professor seleciona três candidatos por turma mediante as apresentações de todos da turma. O segundo momento ocorre no saguão da escola, respectivamente nos três turnos de funcionamento da mesma onde são classificados seis candidatos de cada modalidade para a fase final, mediante a avaliação de um corpo de jurados que tem afinidades musicais da própria comunidade escolar. E, o terceiro e mais esperado momento, a finalíssima entre os candidatos selecionados; que acontece num grandioso baile promovido pela APMF da escola; onde são escolhidos e premiados os três mais talentosos cantores do colégio. Neste evento ocorre também a escolha da Garota e do Garoto Estudantil, mediante desfile. Neste ano a finalíssima do festival estudantil de Salgado Filho será realizada no dia 08 de setembro, na quadra de esportes, aberta a toda a comunidade.


Este projeto é idealizado e coordenado pelos professores de Língua Portuguesa do Colégio Estadual Padre Anchieta.


ATLETAS DE SALGADO FILHO ENTRE OS MELHORES DO PARANÁ

Na primeira semana do mês de julho aconteceu mais uma edição dos Jotoes Escolares do Paraná, reunindo os melhores atletas de todo o estado. O Colégio Estadual Padre Anchieta esteve representado em duas modalidades, salto em distância e corrida de 3 mil metros. A Atleta Larissa Bortoletti competiu no salto em distância, categoria feminino B, tendo salado mais de quatro metros. Ela estava entre as melhores atletas estudantes de todo o Paraná. Fez um bom salto, mas não coneguiu pontuar. O Atleta Clovis da Silva representou o CEPA na modalidade corrida de 3 mil metros, categoria Masculino A. Ele teve um bom desempenho entre os melhores velocistas do estado, tendo feito o percurso em 10 minutos, 58 segundos e 90 centésimos, ficando em 13o. na classificação geral. Em sua bateria, com 16 competidores, Clovis coreu na frente de todos as duas primeiras voltas na pista, depois perdeu um pouco de rendimento e chegou em 5o. lugar. Os atletas foram acompanhados pelo Professor Antonio Batista, e ficaram alojados em uma escola no Bairro pilarzinho, próximo ao centro de Curitiba, sendo que as competições foram realizadas na pista do Colégio Estadual do Paraná. Certamente esta foi uma ótima experiência para estes alunos, pelo fato de estarem competindo com os melhjores atletas do estado, convivendo uma semana com  mais de três mil atletas de várias modalidades, participando, assistindo e realizando vários passeios na capital do estado.






Professor Antonio Batista, Larissa Bortoloetti

e Clóvis da Silva, no alojamento dos Jogos

Escolares, em Curitiba.
ALUNOS E EDUCADORES FAZEM FESTA CAIPIRA



Crianças celebram a alegria da Festa Caipira em Salgado Filho!

No dia 22 de junho deste ano 2011 os mais de 500 alunos do Colégio Estadual Padre Anchieta, de Salgado Filho, com seus professores e funcionários, realizaram uma grande festa junina interna. No início do mês, em um domingo, já havia sido realizada uma festa caipira externa, com a participação de toda a comunidade. Em Salgado Filho tem se mantido há muitos anos a tradição da festa caipira, com danças típicas, como a quadrilha e o pau de fita e comidas típicas, como o pinhão cozido, pipoca, bolo de fubá, dentre outros.

DIA DO DESAFIO


Alunos do CEPA participam do Dia do Desafio. No link acima confira um pouco mais





PADRE ANCHIETA














Validador

CSS válido!

Secretaria de Estado da Educação do Paraná
Av. Água Verde, 2140 - Água Verde - CEP 80240-900 Curitiba-PR - Fone: (41) 3340-1500
Desenvolvido pela Celepar - Acesso Restrito